12.21.2005

O Verdete

Após algumas semanas de discussão e de pousio, o nome Verdete assolou-nos de tal modo a mente que qualquer outro nome que surgisse era logo posto de lado por não conseguir preencher tudo aquilo que o nome verdete consegue incutir num blog sobre paisagem. Verdete, o mesmo que prolifera nas nossas estátuas de cobre e nas moedas de cobre, é também designado por Acetato de Cobre, aliás, [Cu(CH3COO)2·2Cu(OH)2]. A paisagem é demasiadas vezes associada ao 'verde', às plantinhas ou a imagens pitorescas, idílicas. Verdete questiona esse pressuposto. Verdete é um pigmento verde que resulta de reacções químicas provocadas pela atmosfera, pelo clima e pelas acções humanas sobre uma dada superfície de suporte – o cobre. De vegetal, o acetato de cobre não tem nada, excepto a cor associado à maior parte das plantas. No entanto, a sua formação resulta de alguns dos mesmos processos que transformam o território moldando aquilo que comummente se designa por paisagem.

O Verdete, em amplo discurso sobre a paisagem hoje iniciado, procurará questionar os estereótipos e as ideias pré-estabelecidas que teimam em persistir sobre a paisagem, contribuir para um discurso crítico sobre paisagem e sobre arquitectura paisagista e falar de paisagem no seu sentido mais abrangente, ou seja, nos processos, nas organizações, nos sistemas que definem a paisagem ao longo do tempo e, consequentemente, do quotidiano em que habitamos.

2 Comentários:

Blogger a-significado disse...

Parabéns pelo Verdete!
É necessário, de facto, abrir o espectro ideológico sobre a paisagem em si.
O tema é vasto, interessante e merecedor de muita discussão...

13/1/06 13:24  
Anonymous Anderson Theodoro disse...

qual é a reacção química que origina o verdete??

25/3/09 19:12  

Enviar um comentário

<< voltar